#NasTelinhas,2020

Pequenos Incêndios por Toda Parte – e faíscas em nossas cabeças e reflexões

Quando ouvi falar sobre Pequenos Incêndios por Toda Parte (Little Fires Everywhere), nova produção de Reese Witherspoon, fiquei realmente curiosa!

Depois que assisti Big Little Lies (assunto pra outro post!), mal podia esperar para a próxima produção liderada por Reese. E devo dizer que não me decepcionei!

Essa série é, na verdade, do serviço de streaming Hulu, o mesmo d’O Conto da Aia (The Handmaid’s Tale). Mas o Prime Video resolveu salvar o Brasil de ficar de fora de mais essa novidade, e resolveu adquirir os direitos de distribuição aqui em terras tupiniquins.

Kerry e Reese, como Mia e Elena em Pequenos Incêndios por Toda Parte. Reprodução: Hulu

Mas, voltando à história: Pequenos Incêndios Por Toda Parte é um livro escrito por Celeste Ng. Ainda não li o livro, então a análise aqui vai ser baseada no seriado, ok?

Primeiro, o resumo:

Pequenos Incêndios por Toda Parte conta a história de duas famílias: os Richardson e as Warren.

Elena Richardson é a pintura do que a mãe exemplar parece dever ser. Ela trabalha como jornalista, cuida da casa, da família…

Em contraste, temos Mia Warren, uma artista sem endereço fixo, que chegou acaba de chegar à cidade de Shaker Heights com sua filha.

Quando as duas famílias se encontram, temos conflitos, claro: de gerações, de culturas, de individualidades, crenças…

Incendiando as nossas reflexões

Exatamente esses conflitos são o que deixam essa série extremamente interessante!

O primeiro conflito que vemos, com certeza é sobre maternidade e suas escolhas. Elizabeth e Mia tem jornadas muito diferentes quando se trata de maternidade. Então não é nenhuma surpresa de que elas tenham diferentes ideias sobre o assunto.

E dentro desse contexto, Pequenos Incêndios não só conta os pontos de vista das mães, mas também dos filhos. O que torna tudo ainda mais profundo. Assim, assuntos como sexualidade, racismo, bullying, expectativas sobre papéis sociais de cada um dos integrantes das famílias.

Todos assuntos super atuais, e sempre relevantes! Acho que o maior objetivo aqui é exatamente começar diálogos, nem que sejam como reflexões internas sobre como nos tratamos, e tratamos as outras pessoas. Como nos cobramos, e cobramos também das outras pessoas.

Mais que estrelas em Pequenos Incêndios por Toda Parte

Um grande destaque desse seriado, claro, são as atuações! Reese Whitherspoon e Kerry Washington estão incríveis trazendo muita emoção para suas personagens.

Além dessa dupla incrível, vemos também atuações beirando a ser impecáveis: Lexi Underwood como Pearl Warren, filha de Mia. E Megan Stott como Izzy Richardson, a filha mais nova de Elena, com a qual acontecem a maior parte de seus conflitos. Acho que essas duas são também representações incríveis das polarizações e tudo que vemos no conflito entre Elena e Mia.


Agora, pra encerrar…

Mas nem tudo na série é igual ao livro. Uma dica interessante pra quem já viu a série (ou não se importa com spoilers) o Adorocinema fez um apanhado de coisas que são diferentes entre o livro e o seriado. Achei bem interessante: Little Fires Everywhere: 5 diferenças entre a série e o livro.

Em apenas 8 episódios, Pequenos Incêndios por Toda Parte com certeza é uma série que vale a pena maratonar! Ou, se preferir ir digerindo os acontecimento e reflexões devagar.

Avaliação: 4 de 5.

Até a próxima!

Carol

Olha esse aqui tambem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.