Esquadrão Suicida – O que a DC colocou na linha de frente?

Oi gente!
Esse final de semana fui conferir o último lançamento da DC Comics e Warner Bros. para o cinema: Esquadrão Suicida.

Devo confessar que não era a mior fã de quadrinhos de super heróis na minha infância. Preferia ler Turma da Mônica aos Comics.

Então, por favor, não me julguem se falar alguma besteira. Vim falar do filme do ponto de vista de alguém que curte ver os personagens entrando na vida cinematográfica, mesmo não tendo acompanhado todas as suas sagas.

AVISO: Contém spoilers! Só atravesse esta linha se você não se importa com isso…

esquadrao_suicida_poster_cinema

Reprodução: IMDb


Trailers

Amo a expectativa que os trailers me passam para assistir ao filme. E com Esquadrão suicida não foi diferente! O meu trailer preferido levou a trilha sonora de Bohemian Raphsody, dabanda Queen! Grande clássico que contou com cenas interessantes para fazer um acompanhamento.

Personagens

Bom, um esquadrão envolve muitas pessoas, ou nem tão pessoas assim… Mas são muitos indivíduos para conhecermos.

Para os personagens “principais” foram feitas introduções bem breves de suas historias de vida antes do Esquadrão. Ah, e de alguns mostram como foram parar na prisão (seja por causa de um certo Homem Morcego, seja por um certo velocista). De resto, não sabemos muita coisa…

Não reclamo de ter que conhecer tanta gente ao mesmo tempo, mas acho que cada um merecia uma introdução mais elaborada.

Arlequina e Pistoleiro ganharam maior destaque na historia. Não sei se isso foi necessariamente bom.

Apesar de serem vilões, isso fez com que a “equipe”, o “time”, ficasse em menor evidência.

O personagem Diablo se desenvolveu até bastante, mas não necessariamente bem.

Katana é uma personagem que poderia ser muito melhor aproveitada.

Capitão Bumerangue foi ao banheiro e voltou? Foi isso mesmo?

Confesso que os trailers me mostraram uma versão um pouco diferente da historia. Achei que o Coringa fosse ter uma participação maior, e realmente crucial na trama (tá eu sei que ele deu origem a Arlequina, mas…).

Quase não comentei da feiticeira, que apesar de cumprir um papel importantíssimo na trama, também não foi tão impactante.

Ah, e você se lembra do Amarra (ou Slipknot)? Pois é…

Resumindo: os personagens são legais, interessantes… Sei que são vilões, e por isso tendem a ser mais individualistas. Mas faltou uma certa química pra eu poder realmente considerá-los como um esquadrão.

Desenvolvimento

Tá, como desenvolver algo já icônico nos quadrinhos?

Não deixar que os personagens se percam nas ações, e ainda incluir algo que mostre conexão com suas historias de vida?

Ah! E ainda não deixar que seja um filme apensa dramático, cheio de ação e pancadaria, colocando alguns toques de humor?

Acho que aí se encontrou um dos maiores pecados desse filme. Algumas coisas ficaram desconexas. As pitadas de humor pareceram jogadas em meio ao enredo, e não ajudaram, necessariamente, a deixar mais leve o clima do filme.

Voltando ao assunto do Coringa. Jared Leto está bem como o personagem, mas foi mal colocado, e pareceu que apenas entrava na historia pra encher um pouco de linguiça, sabe?

Tá, você falou, falou, falou… Mas o que você achou?

Indo direto ao ponto: é um filme divertido, mas você não pode parar muito pra pensar na história e seus personagens.

É pra assistir e se divertir, sem analisar muita coisa.

Agora, se você é como eu e não consegue fazer isso:

  1. Vá com amigos para analisarem o filme juntos e depois discutirem cada detalhe (vai render bastante conversa), ou
  2. Espera sair no Netflix pra assistir naquela tarde de Domingo que não está passando mais nada na TV.

E você? Já assistiu? O que achou?

Conta aí pra gente saber!

Até a próxima!

Carol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.